Categorias
Sem categoria

TLAXCALA ΤΛΑΞΚΑΛΑ ТЛАКСКАЛА تلاكسكالا: A mentira israelense sobre Gaza

http://tlaxcala-int.blogspot.com/2021/05/le-mensonge-israelien-sur-gaza.html?m=1

A mentira israelense sobre Gaza
Noa Landau נועה לנדאו نوا لانداو , Haaretz ,

24/05/2021
Traduzido por Fausto Giudice
Noa Landau (Jerusalém, 1985) é jornalista do diário israelense Haaretz

“Israel se retirou completamente de Gaza”, é o slogan hasbárico * que a presidente trabalhista Merav Michaeli escolheu para vender ao mundo em uma das muitas entrevistas que deu à mídia internacional durante os dias de luta. Em um comunicado à imprensa, ela chamou a blitz de “patriotismo” como parte da eterna necessidade da esquerda israelense de provar à direita sua ardente lealdade ao país.

Gaza, por Khaled Fanni

Israel pode ter evacuado suas instalações militares e assentamentos da Faixa de Gaza em agosto de 2005, mas não é possível dizer que “se retirou completamente de Gaza”. Desde então, continuou a controlar o acesso e a saída da Faixa de Gaza, por ar, mar e terra, bem como aspectos do registro populacional que também afetam a passagem de Rafah. Isso além de autoridade econômica, controle de construção e desenvolvimento e muito mais.Israel está presente em quase todos os aspectos da vida dos habitantes de Gaza, incluindo a permissão para usar roupas camufladas ou botas de caminhada (definidas como “produtos de uso duplo”, que podem ser usados para fins militares). Mesmo jornalistas estrangeiros (e israelenses, é claro) não têm permissão para cobrir o que está acontecendo lá como desejam. Isso se deve à ousadia ** que afirma que é para sua própria segurança. Como se os correspondentes de guerra da principal mídia mundial não tivessem maturidade suficiente para tomar essas decisões por conta própria.Portanto, a alegação de que Israel se retirou de Gaza é enganosa, para dizer o mínimo; na prática, está mais perto de mentir.Este é exatamente o problema: nos dias em que nenhum míssil é disparado de Gaza, e especialmente de Tel Aviv, a grande maioria dos israelenses, incluindo a esquerda sionista à la Michaeli, está convencida de que tudo é maravilhoso. O povo de Gaza pode ser muito pobre e frustrado, mas é apenas por causa do Hamas. Afinal, partimos daí durante o desligamento, até Michaeli concorda, então o que eles querem?Israel oferece um exemplo vivo disso nos dias de hoje. A maioria dos israelenses está convencida de que o cessar-fogo trouxe a situação de volta ao seu estado anterior: estamos aqui e eles estão lá, e acabou. Mas, na prática, desde o cessar-fogo, as passagens de e para Gaza foram fechadas para mercadorias e pessoas. Um oficial de defesa respondendo ao repórter de Walla Amir Buhbut no domingo fez a declaração surpreendente: “Todo pedido de passagem de comida, cadáveres de palestinos em hospitais em Israel e civis que querem retornar a Gaza – é rejeitado imediatamente”.Por que um pedido de transferência de alimentos, um bem humanitário em todos os aspectos, é rejeitado imediatamente após o cessar-fogo? A razão não foi dada inicialmente, nem mesmo às dezenas de jornalistas estrangeiros que esperaram até domingo para entrar na Faixa de Gaza, mas foi fornecida no final pelo ministro da Defesa, Benny Gantz, quando anunciou que a Faixa de Gaza permaneceria “em uma base humanitária “e que qualquer ajuda adicional estaria condicionada a uma solução para a questão dos prisioneiros israelenses e pessoas desaparecidas. Qual é exatamente o nível humanitário básico? Alguém forneceu detalhes? A alimentação ou a possibilidade de transferência do doente não está incluída nesta categoria? Apesar das declarações do estabelecimento de defesa na manhã de segunda-feira, siga as pressões internacionais de que Israel permitiria a movimentação de suprimentos médicos da ONU e a entrada de trabalhadores humanitários e jornalistas, no momento da redação. De acordo com este artigo, organizações como Médicos pelos Direitos Humanos ainda estavam proibidos de trazer suprimentos médicos para Gaza.As declarações e relatórios são claros: Israel decidiu, mais uma vez, aplicar punição coletiva a Gaza. Isso é em resposta a uma campanha das famílias dos mortos e desaparecidos [israelenses]. No momento, não sabemos exatamente o que pode vir sob nossa graça e o que não pode. Mais uma vez, dois milhões de pessoas são mantidas em cativeiro. E quando a situação explodir novamente, Michaeli, como o resto dos israelenses, vai erguer uma sobrancelha e dizer: mas Israel não está mais lá. NdT
* Hasbara é um termo Israelita em Novilíngua Hebraico que significa “explicação”, isto é, propaganda.

** Chutzpah : termo em iídiche / hebraico que significa atrevimento, arrogância.

Gaza, silêncio internacional, por design an-nour

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s