Categorias
Sem categoria

Randolfe: CPI do PC Farias acabou no impeachment de Collor; senador quer investigar se havia interesses econômicos por trás da produção massiva de cloroquina; vídeo – Viomundo

https://www.viomundo.com.br/entrevistas/randolfe-cpi-do-pc-farias-acabou-no-impeachment-de-collor-senador-quer-investigar-se-ha-interesses-economicos-por-tras-da-producao-massiva-de-cloroquina-video.html


Randolfe: CPI do PC Farias acabou no impeachment de Collor; senador quer investigar se havia interesses econômicos por trás da produção massiva de cloroquina; vídeo
Reprodução
12/04/2021 – 19h33
Da Redação

O autor do requerimento de criação da CPI da Covid 19, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse esta noite ao Viomundo que a CPI, como todas as outras, terá poderes para fazer uma ampla investigação, inclusive com quebra de sigilos e, ao final, pedidos de indiciamento.

Apesar de ter sido fisicamente ameaçado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em telefonema deste ao senador Kajuru (Cidadania-GO) — o ocupante do Planalto se referiu a Randolfe como um “bosta”, no qual “daria uma porrada” — Randolfe não pediu reforço em sua segurança pessoal.

Ele disse que entre amanhã e quarta-feira o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fará a leitura do requerimento e em seguida os líderes partidários vão indicar os integrantes.

Ele não acredita em retirada de assinaturas.

Randolfe afirmou que, por ter sido o autor do requerimento, deveria ser o presidente ou o relator da CPI, mas que atuará em qualquer função que for acordada com seus pares.

Sobre a especulação de que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) presidiria a CPI, ele disse que gostaria que os partidos indicassem senadores veteranos, como o próprio Renan, Eduardo Braga (MDB-AM) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Para Randolfe, a CPI deveria começar ouvindo epidemiologistas e outros cientistas, para que expliquem o motivo de o Brasil ter sido um caso fora da curva na evolução da pandemia global.

Opina ser inevitável a convocação dos três ex-ministros da Saúde do governo Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e o general Eduardo Pazzuello.

O senador concorda que outro tema que deve ser investigado é o da produção em massa de cloroquina — especificamente se havia interesses econômicos e de quem por trás de toda a propaganda feita por Jair Bolsonaro em relação a uma droga ineficaz.

“A maior prova da ineficácia da cloroquina é que você não viu nenhum ladrão roubando frascos dela, já a vacina foi furtada”, lembra o senador.

Randolfe acredita ser possível investigar estados e municípios desde que os casos tenham nexo com a calamidade nacional: por exemplo, convocação de representantes do estado do Amazonas para falar sobre aglomerações que podem ter levado ao surgimento da variante P.1 e a falta de oxigênio que matou dezenas de pessoas.

Todas as sugestões acima, no entanto, estão sujeitas a deliberações de Randolfe com seus pares.

Ele acredita que a CPI pode ser instalada com trabalhos remotos, mas realizar reuniões presenciais no Senado, com todos os cuidados sanitários, a partir de maio. O prazo da investigação será de 90 dias.

Mesmo com a ameaça feita pelo presidente da República, Randolfe diz que não fará da CPI um palanque pessoal contra Bolsonaro, mas vai se ater à apuração dos fatos.

Ele lembra que o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Melo foi resultado da CPI do PC Farias, o tesoureiro de campanha posteriormente assassinado, metido em negócios obscuros antes, durante e depois da campanha eleitoral de 1989.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s