Categorias
Sem categoria

Já estamos nas fronteiras da idade das trevas desde 11 de setembro de 2001. Mas, a cada dia que passa, o panorama de uma extinção em massa da dita “civilização ocidental”, original da Europa, fica mais transparente. Me expressando assim, curto e grosso modo, estou apenas a refletir, como um espelho, as informações dos especialistas, dos antenados na espécie humana. Por outro lado, o assombro do assim chamado mundo civilizado com o nosso querido mas infeliz brasilzim está cada vez mais notório. Nos tornamos uma espécie de cultivar gigantesco daquilo que mais sórdido acontece na superfície do planeta. Passamos à frente até das ruínas da meca do capitalismo, e o fedor característico da decomposição daquele país encontra aqui, entre nós, um semelhante aroma de morte e destruição. Está evidente também que o câncer ainda não carcomeu completamente o organismo, o tecido social que nos une. Cientistas ainda apostam suas fichas, seu conhecimento em suas demandas pelo poder de decidir pela vida enquanto houver vida. Pessoalmente estou desiludido, mas jamais desistirei da luta. Enquanto puder ser Espelho, Mercúrio ou Exum, seguirei compartilhando as minhas notas, o meu pesar. Sem mágicas ou metafísicas grandiloquentes, apenas conjecturas em “voz alta, viva e audível”, reverberando, como um eco nas montanhas, o meu sincero estupor diante de tanta iniquidade. #marcflav

Erro ao obter mídia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s